• Matheus Simplício

Lembre-se de Quem te Libertou



No centenário de Olavo Bilac, na década de 60, Carlos Drummond de Andrade escreveu sobre sua admiração pelo poeta, ou, como ele mesmo diz, O Poeta.

Ao falar sobre o centenário na crônica “O Símbolo”, Drummond expressou seu desconforto ao perceber que a “modernidade” esquecia Bilac. Em suas próprias palavras: “Bilac era esquecido, mas não negado”.


Qual seria a diferença entre negar e esquecer?

Aquele que está sendo negado tem seu nome sempre em voga. Seus pensamentos estão sendo confrontados, colocados em cheque em todo tempo; bem como suas ideias, quase sempre, negadas. Ser negado é persistir.


Já o esquecido, não mantêm seu nome com relevância. Seus pensamentos não são levantados ou defendidos, nem mesmo colados em cheque. Suas ideias, então, parecem não ter forças para continuar. Ser esquecido é não existir.


A preocupação de Paulo, em Atenas, é melhor compreendida, agora. Os chamados de Jeremias e Jonas também ganham um novo olhar. A palavra de Deus é, e sempre foi, usada para quebrantar os corações de seus negadores. O contraste entre ser negado e esquecido é enorme, é real.


Mas o que precisamos entender acerca disso? A negação do evangelho sempre aconteceu no decorrer da história. Muitos de nossos heróis na fé, já se depararam com essas situações.


Mas quando falamos de um evangelho que é esquecido, entramos no pressuposto de que ele (o negador) já passou a fase de negação, ou aceitação. É o momento em que o evangelho morre em nossa vida: nos acostumamos com o mal que nos envolve, as pessoas ao nosso redor são vítimas de nossas impiedades, e tudo isso por quê?


Porque nós não negamos o evangelho, nós o esquecemos.


O que pregar, se não o lembramos?


Assim como Agostinho dizia, a memória é o "estômago da alma", é dela que nos alimentamos quando a fome da decisão nos corrói; é dela que nos alimentamos quando a fome da provação nos sufoca: da palavra que guardamos dentro de nós.


Qual tem sido a consequência do evangelho em sua vida? Você tem "depositado toda a sua esperança na palavra" (Salmo 119:114)?


Nosso exercício diário deve ser guardar a palavra, pois somente ela é capaz de nos convencer de quem somos e nos salvar de quem éramos.



©2019 by Escrito a pena.